05/09/2022

Reduzir antes de compensar: Reduzir é a premissa principal

Compensar as emissões de Carbono por meio de investimento em reflorestamento é um passo importante. Porém, é preciso se atentar em como será feito esse reflorestamento: Serão espécies nativas? Haverá biodiversidade? Em qual território será feito?

Essas são as informações mínimas que uma empresa Carbono Neutro deve fornecer. Isso porque, criar novos latifúndios de monocultura também desequilibra o ecossistema. Já quando incentiva-se o cultivo de mudas biodiversas de florestas nativas em território de extrativismo sustentável, garantimos o beneficiamento e geração de renda sem degradação.

Outro ponto básico, porém sempre importante de lembrar, é que reduzir é e sempre será melhor do que compensar. Reduzir é a premissa principal, o mais desejável quando falamos em sustentabilidade. Reduzir emissões de Carbono, de materiais, de processos de produção, de energia, água, volume, peso... Compensar, assim como reciclar, é um processo energético mais caro à natureza, que deve recorrer apenas sobre aquilo que não se pode nem reduzir e nem reutilizar. 

A produção de Cosméticos com matéria-prima nativa brasileira não só é vantajosa em ativos medicinais e cosméticos riquíssimos e internacionalmente cobiçados. É também uma forma inteligente de reduzir as emissões de Carbono na logística de matéria-prima. Além disso, privilegiar espécies nativas também fomenta a economia interna por meio da geração de renda para comunidades de extrativismo sustentável, ajuda a distribuir recursos econômicos em diferentes territórios e, consequentemente, a reduzir desigualdades e preservar biomas.